Meu querido Diário (II)

Hoje coloquei um aluno na rua. Inevitável. Por vezes, enquanto professores, tomamos decisões que nem sempre queremos. Esta foi uma delas. No entanto, se queremos ser justos e respeitados pelos nossos alunos, temos de tomar decisões difíceis. Mandar para a rua um aluno não me afecta muito. Essencialmente, porque acredito que, pelo menos aqui, funciona. O aluno sente o castigo e nas próximas aulas modifica a atitude. Possivelmente noutros lugares não é assim, o que torna esta questão algo de mais discutível.
Custou-me mandar este aluno para a rua, porque me revi, quando era da sua idade, nas suas atitudes. De facto, ele foi para a rua por uma sucessão de piadas, que por acaso até tinham graça. Quantas vezes eu fui para a rua assim. Quantas vezes eu achei tal decisão injusta...

Passados alguns minutos do aluno sair da sala de aula, vou dar com este aluno, de joelhos, com o caderno no chão a ouvir o resto da aula e a passar tudo o que eu escrevia no quadro (dou as aulas de porta aberta). Claro, que não contive o riso em frente a todos os alunos, o que provocou uma gargalhada geral.

Sem comentários: