Ressaca eleitoral

Apesar de estar a meio oceano de distância de Portugal, não pude deixar de viver as emoções eleitorais da noite passada. E, obviamente, fiquei contente pelos resultados das eleições. Essencialmente porque, como sempre defendi, penso terem sido a melhor solução para Portugal. Porém, não se pense, que estou, ou que fiquei, eufórico. Pelo contrário. A hora não é de festas. É hora de governar. Seriamente.

Não pretendo fazer nenhuma análise política. As que ontem ouvimos são mais que suficientes. Deixem-me apenas dizer três coisas. A primeira vai para Paulo Portas, que pela primeira vez, teve uma atitude política honesta. Subiu na minha consideração, que, diga-se, era quase nenhuma. A segunda, é constatar que Santana Lopes não tem emenda mesmo. Ele é assim mesmo. A gente já o conhece e já não espera muito mais dele. Por isso, nem levamos muito a mal que, aquela triste figura, ainda queira, depois de ter levado Portugal e o partido a uma situação lastimável, continuar a ser líder de um partido como PSD. Certamente que o PSD, e Portugal, merecem muito melhor, pois todos já perceberam que o lugar deste senhor não é na política, mas sim numa Quinta das Celebridades qualquer. A título permanente. Claro. A terceira e última coisa que quero dizer é sobre o Bloco de Esquerda. De facto, vejo com algum, para não dizer muito, desagrado a subida eleitoral do Bloco de Esquerda. Como já referi muitas vezes, para mim, o Bloco não passa de um embuste político. Assim, só posso ficar contente pelo próximo governo não depender deles para nada.

Apesar de não ter, infelizmente, podido votar, sei que com a vitória do PS, e do Eng. Sócrates, a minha responsabilidade também aumenta, na medida que sempre fui seu apoiante. Contudo, não se pense que silenciarei a minha crítica. Muito pelo contrário. Acima de tudo sou por Portugal e nunca prescindirei dos meus princípios, o que, em alguns pontos, colidirá com as políticas que se avizinham.

Ao que parece em Portugal, hoje, começou a chover. Não chovia há 4 meses. Um bom pronuncio, eu acho.

Sem comentários: